Esses dias estava conversando sobre o Google com um amigo que também trabalha na mesma área. Chegamos a um ponto da conversa que se tornou um pouco preocupante, que é justamente a quantidade de informações que passamos para o Google e o poder que ele tem de saber os hábitos de seus usuários. Não sabemos até que ponto isso é bom ou ruim, se o Google realmente leva a sério sua frase don’t do evil (não faça o mal) ou se vai chegar um ponto que vão passar por cima desse lema.

Eu confesso que utilizo muita coisa do Google. O Gmail é meu e-mail principal, ou seja, o Google sabe com quem eu troco e-mails. Utilizo Orkut, o Google sabe com quem me relaciono. Utilizo o Google buscador para pesquisas na internet, o Google sabe tudo o que estou procurando. Utilizo o Google Talk, o Google sabe com quem eu converso com frequência (até o assunto que estou discutindo). A maioria das listas de discussão que participo, estão no Google Groups, isso sem falar o Google Reader, Google Analytics, Agenda e dezenas de outros serviços.

Os serviços são bons, funciona muito bem, rápido, raramente dá problemas (exceto o Orkut, único que foi construído com uma tecnologia conhecida por ser muito instável). Quanto a isso não tenho o que reclamar. A vários anos utilizando os serviços Google, foram poucas as vezes que não consegui acessar meu e-mail ou ver minha agenda. Em 99% do tempo o serviço está lá, funcionando. Mas a questão da privacidade começa a incomodar um pouco. Será que realmente estamos seguros, confiando nossa privacidade ao Google?