O uso de plugins proprietários como o Adobe Flash Player nunca foi algo que me deixou confortável. É tecnologia proprietária e fechada, sua especificação é obscura e cria uma dependência com a empresa. Mas tem seus méritos, foi capaz de trazer ao público uma web mais animada e divertida, com a utilização de vídeos, stream e grande interação com o usuário final.

Com o avanço do HTML5, a Adobe fica em cheque e poderá perder mercado. O HTML5 permite que vídeos, audios e demais interatividades com o usuário final sejam embutidas no próprio documento, eliminando assim a necessidade da instalação de plugins como o Flash Player para atividades como assistir vídeos ou ouvir áudios pela internet.

Os navegadores mais modernos como Firefox, Google Chrome, Opera e Safari já suportam nativamente o HTML5. Reparem que o Internet Explorer não foi citado, ou seja, continua atrasado em relação aos demais navegadores, mas o Google deu uma mãozinha para a Microsoft e criou o Google Chrome Frame, implementando assim os novos recursos e corrigindo as muitas imperfeições do Internet Explorer, principalmente no engine de JavaScript.

Serviços de vídeo como YouTube e Vimeo já estão fazendo testes com HTML5 e permitindo que usuários dos navegadores atuais escolham entre Flash ou utilizar o HTML5 para ver seus vídeos. No YouTube é necessário habilitar o serviço, visitando o link http://www.youtube.com/html5 e clicando logo abaixo no “Entrar no HTML5 Beta“. Trata-se de uma versão experimental e ainda não tem todas as features, como assistir vídeos em tela cheia ou ver anúncios dentro do vídeo (esta última é até interessante! 🙂 ).

Ao optar por testar o HTML5 Beta do YouTube, se você estiver usando uma versão atual de navegador (no meu caso testei com o Google Chrome no Ubuntu e funcionou perfeitamente bem), ao pesquisar por vídeos, verá a seguinte tela:

YouTube em HTML5E pronto, seu vídeo será exibido sem a necessidade de Flash. Mas não são todos os vídeos que funcionarão em HTML5, muitos ainda estão em Flash.

A qualidade é outro ponto impactante. Não está tão boa quanto em Flash, mas acredito que seja uma questão de tempo para que melhorem a qualidade dos vídeos em HTML5.

Que o HTML5 seja muito bem-vindo e ajude a melhorar a web. Fica a dica!