A cada dia que passa fica mais fácil comprovar o quanto o Ubuntu está crescendo e ganhando novos adeptos, até mesmo quem não é da área de tecnologia. A distribuição deixou de ser apenas “mais uma” e começou a ser destaque em vários jornais e revistas mundo afora.

Na Folha de São Paulo de ontem, no caderno de informática, uma matéria de página inteira sobre o evento CanSecWest, sobre segurança. Dentro desse evento havia um desafio, que seria invadir três notebooks com sistemas operacionais diferentes, são eles o Mac OS X, WIndows Vista e o Ubuntu representando o GNU/Linux. Cada sistema operacional foi instalado em sua última versão, com todos os patches de segurança aplicados. Como prêmio, o invasor ganharia a própria máquina que invadiu mais um valor em dinheiro entre 20 mil e 5 mil dollares dependendo da forma e dificuldade da técnica aplicada para invadir.

O primeiro destruído foi o Mac OS X, no segundo dia, o Windows Vista foi comprometido. E para surpresa de todos (para mim não é uma surpresa), o Ubuntu foi o que saiu intacto e ninguém conseguiu invadir.
Com isso o Ubuntu ganhou destaque pela segunda semana seguida no caderno de informática da Folha.

O fato de estar ganhando destaque na mídia tradicional desperta o interesse de pessoas que não estão ligadas em tecnologia a conhecerem melhor essa distribuição. Já presenciei situações curiosas, principalmente quando estou usando meu notebook em locais públicos. Tenho um adesivo do Ubuntu colado na parte de trás do notebook e é bastante comum as pessoas se aproximarem e perguntar a respeito. Costumo ser bastante simpático, tirar todas as dúvidas possíveis e ainda presentear com um CD (daqueles que a Canonical envia) para que a pessoa tenha condições de experimentar o sistema por conta própria. Geralmente recebo e-mails com feedbacks positivos.

Já vi o Ubuntu sendo usado em lojas e empresas de diversos setores. Embora o uso ainda seja pequeno (comparando com o sistema operacional que monopoliza o mercado), o Ubuntu tem ganhado novos adeptos rapidamente.